October 27, 2014

Juisi e a lenda do brechó com marcas japonesas

Vocês conseguem imaginar a felicidade da criança há 6 anos atrás - época que ninguém sabia patavina de importação online - de encontrar as suas primeiras peças de marca japonesa em uma loja LOCAL no BRASIL depois de ter (literalmente) sonhado com isso? Lembro até hoje do momento que bati os olhos no casaco da Putumayo e da h.naoto na arara do Juisi by Licquor, que eu tinha ido ingenuamente conhecer como fazia com todos os brechós. Acredito ter sido R$ 100 cada um, em perfeito estado, e que continuam firmes no meu armário como dois dos melhores e mais quentinhos agasalhos que tenho.

Depois disso continuei visitando a loja na esperança de encontrar mais peças de marcas de Harajuku, já que eles continuavam recebendo levas do Japão. No entanto, o máximo que me deparei foram itens mais casuais, como da Earth Music Ecology. A má notícia é que essa Juisi enorme que eu visitava fechou e virou Casa Juisi, que foca mais em aluguel, acervo e arte (que é incrível, mas não tem como levar embora aquelas belezinhas :P). A boa é que esse mês eles voltaram a abrir na mesma antiga rua do Jardins com parceria da marca fofa Laundry e o Tokyo Brands Project (TBP), que, pasmem: é uma importadora com algum esquema conjunto da Toyota que vai trazer peças de Harujuku, Shinjuku e Shibuya (!!!!!!!).

Eu precisava ver isso com meus próprios olhos e fui na primeira semana de lançamento.


O estabelecimento novo está mais compacto, com uma carinha mais de varejo do que brechó de montoeiras de roupas esmagadas, mas mantendo um estilo pessoal charmoso que já era esperado tanto da Juisi quanto da Laundry - a quantidade de produtos está proporcional ao espaço, que é dividido entre as marcas de forma bem equilibrada. A decoração e paisagismo é um show à parte, ficando fácil de visualizar e ficar um bom tempo olhando, experimentando e selecionando todas as peças especiais com calma em um ambiente confortável, bom atendimento e boa localização. 


Mas vamos ao que interessa à maioria aqui: as roupas do Tokyo Brands Project. Eu cheguei lá achando que seriam 1) de segunda mão e 2) que seria um grande catado de marcas aleatórias, porém eu estava enganada em ambas. 8D Todas as roupas são novas em folha, imaculadas e com etiqueta. As brands iniciais são as seguintes, sendo as três primeiras em maior quantidade: Titty & Co, Wakatsuki Chinatsu (wc), Chimera Park, Lead e Browny, Junior Sweet, Dukkah e Dispark, que são marcas da Wego

Também é válido vasculhar as araras da Juisi, porque sempre tem as peças japonesas usadas "perdidas" nelas! Nesse dia encontrei um trench coat bonitão da Uniqlo e um vestido incrível da A/T, que só não experimentei, porque "ah, se fosse preto...". :P

Camiseta sailor Browny R$ 95, cardigan Titty & Co R$ 144, moletom Dispark R$ 130, camisa mint Titty & Co R$ 146.

Moletom WC R$ 155, vestido "hello" Browny R$ 185, vestido unicórnios Dispark R$ 153, vestido renda WC R$ 228.

Essa é só uma amostra do que tinha por lá, mas são 2 araras cheias de roupas adoráveis. <3 O que tinha mais eram vestidinhos, camisetas, blusinhas, peças de meia estação e jaquetas. Em menor número calças e apenas um modelo de saia. No futuro (previsão de 6 em 6 meses) devem aparecer produtos masculinos, acessórios e uma variedade maior de estilos, já que essa primeira leva é no geral bem girly/seiso/otona kawaii que deve agradar especialmente as gyarus de plantão. Os tamanhos são aqueles que vocês já sabem: muitos são únicos e vão de pequenos há muito pequenos. :P Ok, na verdade é P e M, mas é o P e M japonês.

Enfim, pirei, achei revolucionário. Poder comprar em loja local é uma benção: ver o produto na sua frente, NOVO, poder experimentar, escolher, não pagar frete, shopping service, alfândega, correr risco do correio perder seu pacote, esperar 2 meses, etc. Achei R$ 100 em camisetas um pouco demais, mas as jaquetas e casaquinhos em geral estão com preços muito bons levando em conta todas essas vantagens!

As características da moda japonesa podem ser apreciadas por todos, afinal a qualidade é incrível, muitas das tendências do mainstream tem suas origens lá e esses designs em particular estão bem acessíveis ao gosto da maioria, mas essa é uma oportunidade de ouro pra quem sempre gostou de j-fashion e eu espero que a gente ainda veja esse mercado sair da informalidade e crescer muito mais! Então não esqueçam de comentar aí quais marcas vocês gostariam que trouxessem! 


Se você vai de metrô, é só sair da estação Consolação e descer a Rua Augusta até chegar na Alameda Tietê, super fácil!
E se você não for de SP, acho que podem ficar tranquilos: pelo que eu entendi, a TBP lançará uma loja online em breve. [edit: AQUI a loja, no Rakuten brasileiro! :D]

Alameda Tietê, 168 (sobreloja simpática com varanda "mori")
(11) 3064-4661
13:00 às 20:00

August 8, 2014

Review - móvel para acessórios

Estão na moda esses móveis super bonitinhos com detalhes românticos, cores mais contemporâneas e preços mais em conta. Já não era sem tempo, porque em geral esse tipo de produto é um ABSURDO DE CARO (mas já reclamei disso antes aqui), e resulta em muitos quartos (e casas) sem decoração legal, porque fica inacessível para maioria das pessoas.

Eu "descobri" que existia esses porta-jóias tamanho gigante na 25 de março, que apesar de ser a meca das tralhas chinesas baratas, era diferenciado, de qualidade diferente e também custava a partir de R$ 1000. -_- Desde então fiquei na vontade e comecei a pesquisar outras opções, e aí começaram a surgir essas lojas bacanas que ofereciam peças de MDF com uma base padrão super em conta que vem de sabe-se lá onde, mas que podem ser personalizadas e quebram um baita galho. A que eu acabei comprando, eu conheci por acaso quando fiquei ilhada da chuva no carnaval no Shopping Butantã, que tem uma feirinha de "artesanato" de domingos e feriados. Se chama Woodstock Artes.


O diferencial que me fez finalmente decidir comprar (além do preço justo, cerca de R$ 300) foi a liberdade total de customização que oferecem, e assim eu poderia pedir a peça exatamente como eu queria, não precisando mais ficar procurando pelo modelo perfeito pela eternidade. Eu pude escolher a partir da base como eu queria a tampa (com vidro ou sem), com ou sem o pé, os tamanhos das gavetas, cor (era essencial combinar com o restante da mobília, que não é branca como a maioria das que vendem por aí), acabamento, puxadores, detalhes das portas, divisórias removíveis, etc. Pra mim é o maior LUXO poder ter algo tão personalizado hoje em dia. Até o atendimento segue esse conceito, é de uma educação de dar gosto: te tratam como um indivíduo e não respondem qualquer porcaria por e-mail (alô, rustika!! :/). O pagamento pode ser feito por depósito, cartão no local, pagseguro e paypal. A entrega é feita sem taxas pra quem mora perto ou pelos correios mediante frete, com o produto bem embalado e protegido. Foi muita facilidade pra não ficar tentada a comprar. :x


Apesar de não ser uma peça em madeira maciça do jeito que costumo dar preferência, é uma espécie de móvel que dá para se permitir esse desapego, por não ser algo extremamente essencial (como uma cama :P). O acabamento, no entanto, não é 100% meticuloso, notem que alguns dos puxadores não estão simétricos e a pintura tem alguns "buracos". Também reparei que a durabilidade não vai ser tão grande, pois qualquer contato maior risca o material ou deixa marcas. O tempo de espera foi maior do que o previsto por conta de algum pepino na fábrica, e, apesar de eu não estar com pressa, encomendei em março e chegou apenas em julho.


Mas, no geral, estou realmente muito satisfeita. É uma delícia o móvel ser exatamente como eu queria, não ter custado uma nota e poder organizar melhor minhas bijuterias, acessórios e meias sem socar tudo em 38954894589 caixas diferentes, além de me servir como criado mudo - ter mais de mais de uma função é uma idéia que apóio e também uma necessidade para espaços pequenos!